As tuas palavras são em tudo verdade desde o princípio,e cada um dos teus justos juízos dura para sempre Sl 119.160


Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas

sábado, 17 de agosto de 2013

Qual a Evidência do Batismo no Espírito Santo?

    A Bíblia nos dá exemplos de que o falar em línguas estranhas é uma evidência física e audível da plenitude do Espírito em nós, o que é confirmado pela experiência de milhões de batizados. Poderá ocorrer casos de batismo sem o falar imediato em línguas? Pode. Deus é soberano na Sua vontade e não está limitado a fórmulas. Há casos também em que a plenitude do Espírito vem simultaneamente com outros dons, além do dom de línguas. Vejamos alguns exemplos bíblicos do falar noutras línguas como evidência desse batismo:
       No Dia de Pentecoste, estavam reunidos no cenáculo 120 pessoas:
 
"De repente veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo, e PASSARAM A FALAR EM OUTRAS LÍNGUAS, segundo o Espírito lhes concedia que falassem"(Atos 2.1-4).
 
       Não apenas os discípulos de Jesus estavam ali. Homens e mulheres, até mesmo Maria, mãe de Jesus receberam a plenitude do Espírito naquele momento (Atos 1.14-15).
 
"E ainda Pedro falava estas coisas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro, admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito Santo, pois os ouviam FALANDO EM LÍNGUAS, e engrandecendo a Deus" (Atos 10.44-46).
 
       A partir do momento em que os cristãos hebreus ouviram os gentios falando em línguas, tiveram a certeza de que haviam recebido o derramar do Espírito.
       Os discípulos em Éfeso:
 
"E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto FALAVAM EM LÍNGUAS COMO PROFETIZAVAM. eram ao todo uns doze homens" (Atos 19.1-7).
Aqui mais de um dom foi concedido no ato do batismo.

     Os crentes samaritanos:
 
"Então lhes impunham {Pedro e João} as mãos, e recebiam estes o Espírito Santo. Vendo, porém, Simão que, pelo fato de imporem os apóstolos as mãos, era concedido o Espírito Santo, ofereceu-lhe dinheiro"(Atos 8.15-18).
 
       Por inferência, o que Simão, o mágico, viu foi o FALAR EM LÍNGUAS. Que outro sinal teria visto? Alegria? Não, pois já haviam sido batizados em nome do Senhor Jesus, e viviam alegres com o novo nascimento. Teriam desmaiado? Não, não há relato bíblico de reações emotivas, tais como queda, choro, desmaio, embora isso possa ocorrer.
       Além desse sinal físico - o falar noutras línguas -, o genuíno batismo no Espírito Santo proporciona o aumento da capacidade de amar, exaltar e glorificar a Deus; fará aumentar o desprezo pelos prazeres mundanos; dar mais convicção da presença do Espírito Santo em nossas vidas; aumentará o apego às Escrituras; elevará o interesse em salvar as almas perdidas e em pregar o Evangelho; proporcionará revestimento de poder para anunciar as Boas Novas com ousadia, coragem, intrepidez e amor, na direção do Espírito:
 
"Ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder" (Lucas 24.49; Atos 1.4; 2.14).

Autor:  Pr Airton Evangelista da Costa
 

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

VIDA DE ORAÇÃO



Mt. 26:36-41 - Mc. 14:32-42 - Lc. 22:40-46

"... ficai aqui e velai comigo”

1- O CHAMADO
Porque este assunto para o 6º / 7º período? Quanto mais sabemos sobre as coisas do Senhor, mais precisamos buscar ao Senhor em oração.
É fundamental para nós, como obra, discernirmos e termos consciência plena do momento que nós estamos vivendo, dentro do projeto de DEUS.

Há uma convocação, há um convite da parte do SENHOR para nós para esse momento; assim como ELE escolheu Pedro e os dois filhos de Zebedeu (Tiago e João) para irem com ELE mais adiante,
para terem mais intimidade com ELE, mais comunhão,
                                                              mais experiências,
                                                              mais consciência,
                                                              assim também o SENHOR tem feito conosco.
Os outros discípulos não foram além com Jesus.
A religião, a tradição, (o evangelho que está aí fora) é um corpo doente, contaminado, mergulhado no caos do mundo à mercê da carne e do adversário. E quando a Palavra fala do mundo, fala da carne e do adversário.

Há dois males que dominaram completamente o evangelho que está aí fora, que é o CONFORMISMO (tomar a forma do mundo) e o
COMODISMO (total descompromisso c/o Senhor).  TROCARAM A ORAÇÃO PELA ORATÓRIA.
DEUS tem enviado os recursos para que estes dois males não venham a penetrar no SEU Corpo, na SUA Igreja.  Um desses recursos é a ORAÇÃO.

Enquanto o evangelho aí fora se socorre nos recursos que o mundo oferece, nas novidades que o próprio mundo coloca à disposição, para nós não existe nenhuma novidade.
Para nós existe aquilo que sempre existiu para os homens que foram chamados por DEUS: é o homem saber que ele depende do Senhor. Ele precisa depender do Senhor.
É porisso que a oração é uma bênção, é um mistério, é um segredo que a cada dia o Senhor quer desvendar em nossos corações.

- CONVITE - "VELAI COMIGO".

- o convite do Senhor Jesus a Pedro e aos filhos de Zebedeu é o seguinte:

O Senhor tem nos ensinado isso.  O Senhor tem nos ensinado que o momento que estamos vivendo é de velarmos uns pelos outros, uns com os outros - é a ORAÇÃO no CORPO.

- MOMENTO PROFÉTICO

O momento profético que Jesus vivia ali no Getsêmani se transfere para nós hoje como Obra, como Igreja fiel, que está dentro do plano de Deus.
O momento que JESUS convoca Pedro, Tiago e João, era um momento difícil; ELE iria para cruz, ia morrer, ressuscitar e ser assunto aos céus.
O momento que nós vivemos hoje é o mesmo momento. É o momento em que se aproxima o arrebatamento da Igreja; um instante, que dentro da economia de DEUS recebeu muitas profecias.

E a convocação do SENHOR para esta hora é exatamente esta: "VELAI, VIGIAI". Agora é a hora da noite. A candeia não pode se apagar.
É a oração alerta, urgente

-          O lema a partir de 1996: Foi um sinal de alerta para nós: "Vigiai pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso SENHOR ".
-          Em 1997 o SENHOR continua com a mesma mensagem ao SEU povo, é a ênfase na profecia: "O mesmo DEUS de paz vos santifique em tudo, e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso SENHOR JESUS CRISTO. (I Tes.5-23).
-          A partir de 1998, o conforto e o sustento do Senhor - Nada Me faltará” - Salmo 23:1
-          Em 1999 – “Deus proverá” – experiência de Abraão com Isaque no monte Moriá
-          Agora em 2000, a nossa responsabilidade: – “...guarda o que tens...” – Apocalipse 3:11

2 - A ORAÇÃO NO CORPO – (“Pai nosso” e não “Pai meu”)

A DEPENDÊNCIA (da vontade do Senhor)

A Obra cresceu, mas não perdeu a dependência do Senhor. Não se tornou auto-suficiente

"Velai COMIGO" é a necessidade de entender que nesta hora ninguém vai sozinho. É a necessidade de entendermos que a Obra é a seqüência de um projeto que só se realiza na nossa vida quando nós entendemos o que é corpoEsse é um dos grandes segredos que temos conhecido da parte do SENHOR. É entender o que é corpo.

É entender que às vezes estamos em situações delicadas e de provas.
A situação era difícil. A oração de JESUS foi: Meu PAI, se possível passa de MIM este cálice. (Getsêmani: Prensa do Azeite ) Mc. "Tomado de pavor e angústia "

Por que JESUS usou a expressão "Se possível"?  Porque ele sabia que havia um projeto para si, e se dentro do projeto ELE pudesse ser poupado daquele instante, ELE queria mas, ELE completa: "Todavia, não faça como EU quero mas, como tu queres".

3 - ( a oração ) SEGUNDO O PROJETO DE DEUS

Isso não é fácil! - Dizer isso é fácil. - Viver isso não é fácil!
Por quê? - Porque nós sempre queremos as coisas da nossa maneira.  A tendência do homem é essa: é pedir ao SENHOR que faça como o homem quer.

Aí está o segredo da verdadeira obediência.  A verdadeira obediência é a disposição sincera do coração do homem em se satisfazer com a vontade de DEUS para ele.

E muitas vezes dentro do programa, do projeto do SENHOR para nós estão as provas, as lutas, as dificuldades, estão as barreiras para serem vencidas.  "SENHOR, MEU PAI, não seja feito como EU quero mas, como TU queres"
Nós precisamos cada dia entender isso. "SENHOR, eu não queria assim, eu queria que fosse de outra maneira".

NÓS APRENDEMOS QUE:
A oração é transmissão de vida!  Quando?  Quando ela está dentro do projeto de DEUS!  Por isso a oração de JESUS foi: "Se possível passa de MIM este momento, todavia não seja como EU quero mas, como TU queres".

O que eu estou pedindo será bom para a Obra? “Ó SENHOR, será bom para a Obra? Ó SENHOR, será bom para a TUA Obra na minha vida? “Ó SENHOR, será bom para a TUA Obra como Corpo?” É por isso que muita coisa tem dado errado, porque não visa em primeiro lugar a Obra.
“Então, SENHOR, não seja como eu quero, mas, seja como TU queres.” E aquilo que for bom para a Obra, será bom para a minha vida também.
“Pedis, mas pedis mal...” Pedir mal é pedir fora do projeto de Deus.

3.1 - AS ANSIEDADES

Há um ensino muito profundo nas palavras de JESUS.  A tendência nesta hora é uma absorção completa do homem pelas coisas desta vida.  Há uma preocupação em muitos corações.  Há muitos pedidos.  Há muitos planos, mas é preciso entender e descobrir se esses planos nossos estão dentro do projeto do SENHOR.
Por isso o SENHOR ensinou: "Buscai primeiro o reino.... e todas as demais coisas serão acrescentadas". QUANTO MAIS ANSIEDADE, MAIS PROLONGADO O JEJUM! Não!
“Aquele que crê, não se apresse”
A realidade que se vê é outra.  As demais coisas se tornam uma grande preocupação enquanto o reino é deixado de lado, ou quando sobra tempo
A Palavra diz: "Lançando sobre ELE toda a vossa ansiedade porque ELE tem cuidado de vós".

3.2 - OS DISCÍPULOS DORMIRAM

JESUS retornou e encontrou Pedro e os dois filhos de Zebedeu adormecidos. 
Paulo quando ensinava sobre a ceia diz: "Há muitos fracos, doentes e muitos que dormem, não discernindo o corpo". 
A hora em que vivemos é uma hora de discernimento. Uma hora que precisa ser bem discernida.
É uma hora em que o conselho do ESPÍRlTO SANTO é: "colírio para que vejas". 
O óleo da candeia não pode acabar, porque senão ela vai apagar. É o preparo para a hora final.

Porisso, sempre as revelações estão fluindo, aflorando para nós como Obra e para nós individualmente.

A grande necessidade desta hora é orar, porque sem luz, sem a revelação nós podemos adormecer. Apagou a luz, vem o sono. Mas ao orar , (a luz se acende) vem a revelação.

E o convite, a convocação do SENHOR, para nós é este.  A SUA convocação é :
"Velai COMIGO" - "Velai pela minha Obra" - "Zelai por Ela" - "Vigiai"

Esta hora é uma hora séria. Por quê? 
A trombeta vai soar e só ouvirá quem estiver acordado.
Estes são os recursos do Espírito Santo para aquele que tem uma vida de oração.

4 - CONSOLO

Lucas acrescenta um detalhe nesta passagem:  -  REFRIGÉRIO
                                                                             -  CONSOLO
Ele diz que enquanto JESUS orava “...um anjo desceu do céu e confortava seu coração.”

A nossa experiência tem sido esta.  Louvado seja DEUS!
Às vezes o SENHOR nos diz: "Não vou passar o cálice, não vou tirar a prova, a luta", mas, nós levantamos confortadosNão por ELE falar assim mas, pelo REFRIGÉRIO que recebemos, pelo CONSOLO que ele nos dá pela fé que ele renova, pela alegria de sabermos que vamos ser provados mas, que ELE estará ao nosso lado.
ð a oração d  Paulo: “A minha graça te basta”
ð a experiência do pastor: “Agora estou bem, porque o Senhor está comigo na luta”.
ð experiência de Paulo no naufrágio.

4.1 - OS NOSSOS PEDIDOS
 - DO QUÊ PRECISAMOS?
-          Nós estamos precisando de muitas coisas. DEUS sabe disso.  ELE sabe principalmente que nós estamos precisando ser confortadosMuitos estão pedindo por um emprego, por uma condição financeira ou profissional melhor, ou por um veículo melhor.  Estão pedindo por muitas coisas mas, o que nós estamos precisando mesmo é de conforto do ESPÍRlTO SANTO. Como servos de DEUS, como Obra do ESPÍRlTO é este o consolo da parte do SENHOR para que cumpramos a vontade DELE para os nossos corações.

- ORAÇÃO EM NOSSO PRÓPRIO NOME?
-          Às vezes nós nos deparamos com alguns companheiros, com alguns obreiros: um obreiro aproxima-se de um pastor e diz: "Eu tenho sido fiel ao SENHOR.  Eu tenho buscado ao SENHOR.  Eu tenho atendido as orientações.  Eu não entendo porque estou nessa prova tão grande... mas, eu tenho orado...".Isso não sensibiliza o Senhor.
-          A resposta das nossas orações não está condicionada ao nosso desempenho (performance) como homens e como servos.  "Eu estou sendo fiel, eu estou atendendo... DEUS tinha que fazer assim para mim?  Por que assim para o SENHOR"?  Esta oração não é feita em Nome de JESUS e sim em nosso próprio nome.  Em nosso esforço próprio.

-          auto-suficiente X o dependente
-          o imerecedor X o merecedor

"SENHOR, eu não estou fazendo nada mais do que precisava fazer”.
"Aliás a TUA Palavra diz que quando o servo faz tudo o que precisa fazer ele é inútil! 
Mas eu te peço isso em nome de JESUS, em nome da Revelação, em nome do SALVADOR".

“Eu nada mereço, não sou digno, por amor a Jesus, se possível, se estiver dentro do teu projeto, se for bom para a Obra, eu quero, atende Senhor”.

4.3 - A ORAÇÃO FEITA DENTRO DO PROJETO DO PAI

Quando observamos as experiências dos homens de DEUS, a busca deles era sempre em função de seus próprios chamados.
Abraão (orava sempre no sentido da promessa do filho) - Jacó  (a bênção da primogenitura) - Davi - Paulo. Foram provados e nem por isso passaram necessidades.

O exemplo maior foi o do SENHOR JESUS, porque toda a SUA oração era dirigida para o projeto do PAI, para a vida DELE. ( Mc.  "ABA" - "MEU PAI" - denota intimidade ).



5 - FORTALECIMENTO

OS EFEITOS (resultados) DA ORAÇÃO:
A) - Há efeitos que são imediatos. ( e é isso que nos fortalece )

A Igreja fazia contínua intercessão por Pedro. - Houve um efeito imediato.
(A experiência da oração da irmã de Natal pela minha vida)
Outros não são imediatos: Ana orava e clamava por um filho.  O tempo passou, e na hora certa o SENHOR atendeu, porque aquela hora estava dentro do projeto do SENHOR.

B) - "A oração do justo pode muito em seus efeitos". ( Tg. 5:16 ). Nós precisamos aprender isso.
o caso de Jó, quando orou pelos seus amigos: o Senhor removeu o seu cativeiro)

Experiências:
-   Da revelação para orarmos por Chiquinho e os efeitos foram em nosso favor
-   Da irmã que estava no CTI e que passou a orar por todos os outros motivos e não mais por si mesma e, a partir desse dia, ela começou a melhorar e recebeu alta.

Quando estamos na disposição sincera de obedecer, ao SENHOR, de atender e
satisfazer-nos com a SUA vontade.  NÃO HÁ ORAÇÃO SEM RESPOSTA!

As orações estão sendo respondidas!

Muitos irmãos aqui poderiam dar muitos testemunhos dos sinais grandiosos e maravilhosos que DEUS tem realizado em nosso meio mas, É preciso velar.

6 - AMOR E VIDA

A GRANDE BÊNÇÃO DE VIDA QUE A ORAÇÃO DO SENHOR JESUS POR NÓS É QUE ELE MORREU POR NÓS. SUA ORAÇÃO NÃO TEVE RESPOSTA PARA ELE, MAS TEVE PARA NÓS
"NEM UMA HORA?" - Portanto, é preciso velar nesta hora.

"Então nem uma hora pudeste velar COMIGO?" Uma hora aqui não significa 60 minutos.  Esta hora é o tempo que o SENHOR nos chamou. É o momento profético que estamos vivendo no relógio de DEUS.

Neste momento profético, DEUS está contando só com os fiéis.  DEUS está contando conosco. ORAR NO CORPO é transmitir vida, ou seja: o amor: o Espírito Santo.

Não somos melhores que ninguém mas, ELE fez um convite para nós: como Obra, vamos mais adiante? vamos mais à frente? - velai COMIGO.  O SENHOR conta conosco, com cada um de nós para velar e zelar diante DELE.

A revelação é a esperança maravilhosa que está sendo passada e está ao alcance de cada um de nós.  Ao mesmo tempo, a hora é difícil, os apertos da vida, o cansaço, as dificuldades, as lutas, as provas.  "SENHOR eu vou descansar só um pouquinho, só um instante".  As forças estão se esgotando...”
VELAI COMIGO, é uma hora, a última hora, é um tempo. O ESPÍRlTO SANTO vai consolar.

A oração nos leva a uma maior compreensão dos planos do senhor. E preciso entender que o SENHOR nos fez um convite para termos um conhecimento melhor das coisas do reino mas, é preciso entender também que há uma grande necessidade da oração.

Orar no Corpo é transmitir vida, o amor, o Espírito Santo.
Orar de acordo com a Revelação: universitários, secundaristas,.......
O SENHOR não tem nenhuma novidade para nós, o que ELE tem é o conforto da SUA presença, é o renovo para nossas vidas, ( Pedro e os discípulos - Monte da Transfiguração - Monte - Jardim das Oliveiras. ) - A oração dos Grupos de Assistência.
ELE sabe que somos fracos.  ELE sabe que em alguns momentos no nosso caminho nós invertemos os valores: é porisso que a oração é importante.  Porque o homem que nesta hora está tendo uma vida de oração, o SENHOR está consertando as coisas na sua vida, o ESPÍRlTO SANTO está organizando os nossos pensamentos e nós temos provado do grande consolo, da grande benção que é a comunhão com o SENHOR.

A oração desta última hora deve conter:          - a fé  -  a comunhão – a gratidão. Quando contém isso, essa oração não se perde, mas opera e se aplica no Corpo onde o Senhor julgar necessário.


Que a Palavra do SENHOR conforte os nossos corações!

Dons Espirituais

Ensino


“Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres;…” (1 Co 12:27-28 NVI)
“Se o seu dom é servir, sirva; se é ensinar, ensine;…” (Rm 12:7 NVI)

O Dom Espiritual de Ensino Definido

O dom de ensino é a capacidade concedida por Deus de compreender e comunicar a verdade bíblica de forma clara e relevante para que haja compreensão e aplicação.

Pessoas com o Dom de Ensino

Aprender, pesquisar, comunicar e ilustrar a verdade são qualidades que um indivíduo manifestará ao exercitar o dom de ensino. Estas pessoas gostam de estudar e aprender novas informações e obtém grande alegria compartilhando isto com outros. O formato do ensino pode variar de um discipulado um a um até classes formais, estudos bíblicos informais, grandes grupos, e pregação que é uma forma de ensino.

Ensino no Ministério de Jesus

Por todos os evangelhos, Jesus era comumente chamado de Rabbi, que quer dizer “mestre.” Mateus 4:23 diz que “Percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando” e Mateus 7:28-29 dizem que “Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina; porque ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas.”

Ensino nas Escrituras

Áqüila e Priscila (Atos 18:26), Paulo (Atos 19:8-10; 20:20; Colossenses 1:28; 1 Timothy 2:7), presbíteros/pastores (1 Timóteo 3:2; 5:17), Timóteo (1 Timóteo 4:11,13; 6:2), e as mulheres piedosas (Titus 2:2-4), todos demonstram o dom de ensino.

Você tem esse dom?

  • Você gosta de estudar e pesquisar?
  • Você gosta de transmitir a verdade bíblica a outros?
  • Outras pessoas vêm até você em busca da sua perspectiva nas Escrituras?
  • Quando você ensina, as pessoas “captam”?
  • Quando você vê pessoas confusas no entendimento da Bíblia você sente uma responsabilidade de falar a elas sobre o assunto?
  • Você gosta de falar a grupos de vários tamanhos acerca de questões bíblicas sobre as quais você tem fortes convicções?

Apóstolos


“Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos…” (1 Co 12:27-28 NVI)
“E ele designou alguns para apóstolos…” (Ef 4:11 NVI)
O Dom Espiritual de Apóstolos Definido
Há muita confusão sobre o dom espiritual de apostolado porque muitas vezes há uma falha em distinguir o ofício de apóstolo do dom de apóstolo. O ofício de apóstolo refere-se aos doze escolhidos por Jesus (p.ex., Mateus 10:1; 19:28; 20:17; Marcos 3:13-19; 6:7; 9:35; 10:32; Lucas 6:12-16; 8:1; 9:1; 22:19-30; João 6:70-71; Apocalipse 21:14). Os requisitos para o ofício de apóstolo incluem ser uma testemunha ocular da vida e ressurreição de Jesus (Atos 1:21-26). Outro requisito é o poder miraculoso (Atos 2:43; 5:12; 8:18; 2 Coríntios 12:12; Hebreus 2:4). Portanto, apóstolos não existem hoje (p.ex., escrevendo livros da Bíblia), embora a função do seu ofício permanece existindo em um sentido restrito.

Apostolado em um Sentido Secundário

Por exemplo, apostolado em um sentido secundário aplica-se a pessoas como Barnabé (Atos 14:3-4, 14), Apolo e Sóstenes (1 Coríntios 4:6-9), Andrônico e Júnias (Romanos 16:7), Tiago (Gálatas 1:19), e Silas e Timóteo (1 Tessalonicenses 1:1; 2:6). Eles, como os apóstolos hoje, eram indivíduos capacitados enviados de um lugar para outro para iniciar e estabelecer igrejas locais (Atos 13:3-4). Este dom também inclui a capacidade de ministrar de forma transcultural (Atos 10:34-35; Efésios 3:7-8). Nos dias de hoje, plantadores de igreja e missionários estão operando na esfera do seu dom de apostolado, bem como líderes cristãos que Deus levanta para liderar e influenciar múltiplas igrejas e pastores.

Pessoas com o Dom de Apostolado

Estas pessoas muitas vezes têm um bom número de dons, tais como evangelismo, ensino, liderança, fé e exortação e são motivadas por novas e difíceis tarefas.

Apostolado nas Escrituras

Hebreus 3:1 afirma: “Por isso, santos irmãos, que participais da vocação celestial, considerai atentamente o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão, Jesus.” Jesus também edifica a igreja (Mateus 16:18; Hebreus 3:1-6). Ele é a principal pedra angular da igreja, na qual o fundamento dos profetas e apóstolos é posta (Efésios 2:20), e sobre a qual Ele governa como Supremo Pastor (1 Pedro 5:4). Paulo é outro exemplo (Romanos, 1 Coríntios, 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Colossenses, 1 Timóteo, 2 Timóteo, e Tito, todos começam com Paulo anunciando a si mesmo como um apóstolo). Também, uma leitura de Atos indica que Paulo servia de forma transcultural e plantava igrejas. Pedro também detinha o ofício de apóstolo (Gálatas 2:8; 1 Pedro 1:1).

Erros Comuns quanto a Apóstolos

Líderes de seitas e falsos mestres afirmam ter autoridade que é, na prática, igual a das Escrituras porque eles são como aqueles apóstolos que escreveram a Bíblia. Mas essas pessoas são falsos apóstolos (2 Coríntios 11:13; Apocalipse 2:2) e “super-apóstolos” auto-iludidos (2 Coríntios 11:5, 13; 12:11).

Você tem esse dom?

  • Você consegue ministrar transculturalmente de forma efetiva?
  • Você foi chamado e qualificado para plantar uma igreja?
  • Pode começar uma igreja do nada?
  • Você é um empreendedor?
  • Deus te deu liderança e influência sobre múltiplas igrejas como um líder de um movimento?
  • Você consegue desbravar um ministério onde outros falharam?

Ajuda/Serviço


“Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda…” (1 Co 12:27-28 NVI)
“Se o seu dom é servir, sirva; se é ensinar, ensine;…” (Rm 12:7 NVI)

O Dom Espiritual de Ajuda/Serviço Definido

O dom de ajuda/serviço é a habilidade para trabalhar alegremente ao lado de outro e ajudar aquela pessoa a completar a tarefa que Deus lhes deu. Pessoas com este dom geralmente preferem trabalhar nos bastidores. Eles também tendem a achar alegria ajudando a aliviar os fardos e responsabilidades de outros. Este dom normalmente é acompanhado por uma atitude de humildade e sacrifício, bem como uma habilidade de perceber as necessidades de outros.

Pessoas com o Dom de Ajuda/Serviço

Estas pessoas tendem a demonstrar uma atitude de servo, lealdade, atenção aos detalhes, e receptividade às iniciativas de outros. Eles funcionam bem em posições de detalhe e assistência na liderança.

Ajuda/Serviço nas Escrituras

Mateus 20:28 afirma que “o Filho do Homem [Jesus], que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” Jesus também disse: “Pois, no meio de vós, eu sou como quem serve” e Ele até mesmo lavou os pés dos seus discípulos (Lucas 22:27; João 13:5). Já que os servos trabalham freqüentemente nos bastidores, o trabalho deles mas não seus nomes são mencionados freqüentemente na Bíblia (por exemplo: Números 11:17; 1 Timóteo 6:2; Atos 6:1-3). Pessoas citadas na Bíblia que ajudaram a igreja por meio de serviço incluem Febe, Priscila, Aqüila, Trifena, Trifosa (Romanos 16:1-4,12), e João Marcos (Atos 13:5). Algumas dessas pessoas com este dom também são designadas para a liderança como diáconos da igreja (1 Timóteo 3:8-13).

Você tem esse dom?

  • Você curte ajudar outros a serem mais efetivos no trabalho deles?
  • Você prefere trabalhar nos bastidores?
  • Quando alguém está fazendo seu trabalho deficientemente seu primeiro instinto é ajudar em vez de criticar?
  • Você prefere trabalhar em uma posição de suporte em vez de uma posição de liderança?
  • Quando você ouve falar de alguém em necessidade, você oferece seus serviços quando possível?
  • Quando alguém pede sua ajuda, você tem dificuldade de dizer não?

Administração


“Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração…” (1 Co 12:27-28 NVI)

O Dom Espiritual de Administração Definido

O dom de administração é a habilidade dada por Deus de dar direção e tomar decisões em favor de outros, que resultam em operação eficiente e no alcance de metas. A administração inclui a habilidade de organizar pessoas, coisas, informações, finanças, etc. Freqüentemente a marca de um administrador é a habilidade de executar coisas de um modo “decente e ordenado” (1 Coríntios 14:40)

Pessoas com o Dom de Administração

Administradores freqüentemente têm um olho aguçado para detalhes. Eles também podem possuir os talentos naturais de organização, observação e atenção a detalhes, solução de problemas, e capacidade de raciocínio.

Administração nas Escrituras

Jesus organizou Seu ministério escolhendo um círculo interno de três discípulos (Marcos 9:2), designando os doze (Marcos 3:13-14) e enviando os setenta de dois em dois (Lucas 10:1). José (Gênesis 41:41-57; 47:13-26), Jetro (Êxodo 18) e Tito (Tito 1:5) demonstram o dom de administração.

Você tem esse dom?

  • Quando as coisas são organizadas deficientemente você fica frustrado e deseja ajudar nas correções necessárias?
  • Você é capaz de tirar ordem do caos?
  • Você naturalmente organiza sua vida, agenda, finanças, prioridades, etc.?
  • Você se empolga ao atuar em tarefas e projetos?
  • Coisas como eficiência e presteza significam mais para você do que para a maioria das pessoas?
  • Coisas como planilhas eletrônicas, orçamentos, quadros organizacionais e aplicativos, arquivos, canetas marca-texto e etiquetas te fazem feliz?

Evangelismo


“E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas… (Ef 4:11 NVI)

O Dom Espiritual de Evangelismo Definido

O dom de evangelismo é a habilidade e o desejo de comunicar, corajosa e claramente, o evangelho de Jesus Cristo para que não-cristãos tornem-se cristãos.

Pessoas com o Dom de Evangelismo

Os evangelistas freqüentemente se preocupam calorosamente com os perdidos e têm um forte desejo de vê-los conhecer Jesus. Eles sentem compaixão pelos perdidos e procuram seriamente entender as perguntas e dúvidas deles de forma que eles possam prover uma resposta convincente. Freqüentemente um evangelista prefere estar com pessoas na cultura do que ficar na companhia de cristãos na igreja.

Evangelismo nas Escrituras

Lucas 19:10 diz que “o Filho de Homem veio buscar e salvar o que estava perdido.” Pessoas acusaram Jesus de ser “um amigo de cobradores de impostos e ‘pecadores’” porque ele teve muitos relaçionamentos evangelísticos com pessoas pecadoras (Mateus 11:19). Filipe (Atos 21:8) e Timóteo (2 Timóteo 4:5) também são exemplos de evangelistas.

Você tem esse dom?

  • Você gosta de estar com não-cristãos e compartilhar o evangelho?
  • Você consegue se comunicar efetivamente com não-cristãos em uma linguagem que eles conseguem entender?
  • A conversão de alguém te traz profunda alegria?
  • Você se sente frustrado quando você não compartilhou sua fé durante algum tempo?
  • Você gosta de ensinar a outros como compartilhar sua fé?
  • Você acha fácil de dirigir uma conversa para o assunto Jesus Cristo?

Encorajamento


“Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada. Se alguém tem o dom de profetizar use-o na proporção da sua fé. Se o seu dom é servir, sirva; se é ensinar, ensine; se é dar ânimo, que assim faça… (Rm 12:6-8 NVI)

O Dom Espiritual de Encorajamento Definido

O dom de encorajamento (também chamado de dom de exortação) envolve motivar, encorajar e consolar outras pessoas de forma que elas amadureçam na sua caminhada com Jesus.

Pessoas com o Dom de Encorajamento

Cristãos com este dom têm uma sensibilidade incomum para com aqueles que estão desanimados ou em lutas e são atraídos para eles. Como resultado, as pessoas tendem a procurá-los em busca de palavras restauradoras, verdade graciosa e conselho compassivo. Estas pessoas também tendem a ter um alto grau de paciência e otimismo. Elas podem ter uma queda para relacionamentos um-a-um e preferem trabalhar com indivíduos ou pequenos grupos.

Encorajamento nas Escrituras

Jesus nos disse para amar até mesmo os nossos inimigos e fazer bem a eles (Lucas 6:27-35), e exortou as pessoas a deixarem sua vida de pecado (João 8:11). Barnabé, cujo nome significa “Filho do Encorajamento” (Atos 4:36), encorajou a Paulo (Atos 9:27) e João Marcos (Atos 15:39). Paulo tinha este dom (Atos 14:21-22; 16:40; 20:1) como também Judas e Silas (Atos 15:31-32).

Você tem esse dom?

  • As pessoas te procuram para aconselhamento e encorajamento?
  • Você gosta de caminhar com alguém através de dificuldades?
  • Você é atraído em direção àqueles que estão sofrendo e necessitados?
  • Você é paciente com as pessoas?
  • Você preferiria falar pessoalmente com alguém sobre os seus problemas do que enviar outra pessoa para ajudar?
  • Você acha fácil expressar alegria na presença daqueles que estão sofrendo?

Contribuir


“Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada. Se alguém tem o dom de profetizar use-o na proporção da sua fé. Se o seu dom é servir, sirva; se é ensinar, ensine; se é dar ânimo, que assim faça; se é contribuir, que contribua generosamente… (Rm 12:6-8 NVI)

O Dom Espiritual de Contribuir Definido

O dom de contribuir é a habilidade de dar dinheiro e outras formas de riqueza alegre, sábia e generosamente para satisfazer as necessidades de outros e ajudar a sustentar ministérios.

Pessoas com o Dom de Contribuir

Independentemente da quantia, pessoas com este dom genuinamente vêem seus tesouros, talentos e tempo como pertencentes a Deus e não a eles mesmos. Eles são freqüentemente movidos a satisfazer as necessidades físicas de outros. Eles gostam de dar de si mesmos e do que têm. Mesmo quando eles não possuem os recursos para ajudar, eles oram fervorosamente para que essas necessidades sejam atendidas.

Contribuir nas Escrituras

Aproximadamente 25 por cento das palavras de Jesus nos Evangelhos estão relacionadas aos nossos recursos e a mordomia para com eles. Embora ele fosse pobre, Jesus não só alimentou milhares (Marcos 6:41) mas também deu-nos sua vida como um presente (João 15:13). Em outros pontos na Bíblia, a viúva (Marcos 12:42-43), Tabita (Atos 9:36), Barnabé (Atos 4:34-37), e a igreja macedônia (2 Cor. 8:1-2), todos tiveram este dom.

Você tem esse dom?

  • Você tende a ver as necessidades dos outros mais do que outras pessoas costumam fazer?
  • Você gosta de dar do seu tempo, talento e riqueza para outros?
  • Você entende que contribuir para um projeto digno é uma honra e um privilégio?
  • Você contribui regularmente para a igreja com alegria e sacrificialmente?
  • Você ouve freqüentemente as pessoas comentarem que você é uma pessoa generosa?
  • Você procura oportunidades para dar seu dinheiro mesmo quando ninguém pergunta?

Liderança


“Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada. Se alguém tem o dom de profetizar use-o na proporção da sua fé. Se o seu dom é servir, sirva; se é ensinar, ensine; se é dar ânimo, que assim faça; se é contribuir, que contribua generosamente; se é exercer liderança, que a exerça com zelo… (Rm 12:6-8 NVI)

O Dom Espiritual de Liderança Definido

O dom espiritual de liderança é encontrado em pessoas que têm uma clara e significativa visão da parte de Deus e têm a habilidade de comunicá-la publicamente ou reservadamente de tal modo que influenciam outros a perseguir aquela visão.

Pessoas com o Dom de Liderança

Estas pessoas tendem a gravitar para a “posição central” em um ministério. Outros tendem a ter confiança nas habilidades delas. Eles servem melhor os outros liderando-os. Eles tendem a operar com um forte senso de destino.

Liderança nas Escrituras

Jesus foi um líder tão talentoso que nos seus dias milhares O seguiram e hoje bilhões O seguem como o maior líder que jamais viveu. Outros exemplos são abundantes, incluindo Abraão, Moisés, Josué, Davi, Daniel, Josias, Paulo, Pedro e Tiago.

Você tem esse dom?

  • Outras pessoas têm confiança na sua habilidade de liderar?
  • Você gosta de ter a “palavra final” ou de ser aquele com a responsabilidade final pela direção e sucesso de um grupo ou organização?
  • Quando uma situação difícil ocorre, outras pessoas te procuram para recomendações e liderança?
  • É comum você tomar a liderança em grupos nos quais ela não existe?
  • Você considera a liderança agradável em vez de frustrante e difícil?
  • Outras pessoas vão atrás de você para tomar grandes decisões para um grupo ou organização?

Misericórdia


“Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada. Se alguém tem o dom de profetizar use-o na proporção da sua fé. Se o seu dom é servir, sirva; se é ensinar, ensine; se é dar ânimo, que assim faça; se é contribuir, que contribua generosamente; se é exercer liderança, que a exerça com zelo; se é mostrar misericórdia, que o faça com alegria. (Rm 12:6-8 NVI)

O Dom Espiritual de Misericórdia Definido

O dom de misericórdia é a capacidade de sentir e expressar compaixão e solidariedade incomum para com aqueles em situações difíceis ou de crise e lhes proporcionam a ajuda e apoio necessários para atravessar tempos difíceis.

Pessoas com o Dom de Misericórdia

Eles têm a capacidade de “se colocar na situação de outros” e de sentir a dor e o fardo que eles carregam. Eles desejam fazer uma diferença na vida de pessoas que sofrem sem serem críticos. Eles podem ter dificuldade de avaliar as intenções dos outros e por vezes parecem ingênuos.

Misericórdia nas Escrituras

Jesus ensinou sobre a misericórdia (Mt. 5:7; 9:13; 23:23). Ele é constantemente descrito como tendo compaixão (Mt. 9:36; 15:32; 23:37; Lc. 7:13) e era tão cheio de misericórdia que por vezes chegou a chorar (Jo. 11:35). A misericórdia de Jesus incluiu uma atenção e preocupação pelas crianças (Mt. 19:14). Dorcas era “notável pelas boas obras e esmolas que fazia” (Atos 9:36). Além disso, o bom samaritano é uma das mais clássicas histórias já contadas sobre o tema da misericórdia (Lc. 10:30-37).

Você tem esse dom?

  • Você se sente atraído a pessoas carentes, sofridas, doentes, deficientes ou idosas?
  • Freqüentemente pensa em formas de ministrar àqueles que sofrem?
  • Você sente uma grande compaixão por pessoas que enfrentam problemas pessoais e emocionais?
  • Você sente que quando visita aqueles que sofrem isso te traz alegria em vez de te deixar deprimido?
  • Você se vê respondendo às pessoas mais com compaixão do que com julgamento?

Hospitalidade


“Compartilhem o que vocês têm com os santos em suas necessidades. Pratiquem a hospitalidade. (Rm 12:13 NVI)

O Dom Espiritual de Hospitalidade Definido

O dom espiritual de hospitalidade é a habilidade de receber bem os estranhos e entreter os convidados, freqüentemente em sua casa, com grande alegria e carinho de forma que eles se tornem amigos. Hospitalidade deve para incluir a família (1 Tm 5:8), amigos (Pv 27:10), cristãos (Gl 6:10), e estranhos que podem não ser cristãos (Lv 19:34).

Pessoas com o Dom de Hospitalidade

Estas pessoas tendem a ter uma “casa aberta” onde outros são bem-vindos para visitar. Este dom é freqüentemente associado aos talentos naturais de decoração de interiores, arte culinária e planejamento de eventos. É importante lembrar que a hospitalidade não deve ser estendida a falsos mestres e outros do mesmo tipo, que são uma ameaça (2 Jo 10-11).

Hospitalidade nas Escrituras

Jesus gastou tempo ajudando os marginalizados da sociedade (Mt 11:19), freqüentemente comeu com Seus discípulos e nos recebeu na família de Deus que inclui uma morada eterna (Jo 14:2) e uma festa eterna (Is 25:6-9; Ap 19:6-9). Presbíteros e pastores devem exercitarem a hospitalidade (1 Tm 3:2; Tt 1:8). Pedro desfrutou a hospitalidade de Simão (At 9:43) e Cornélio (At 10:48). Paulo desfrutou a hospitalidade de Lídia (At 16:15) e do carcereiro de Filipos (At 16:34).

Você tem esse dom?

  • Você gosta de ter pessoas em sua casa?
  • Você gosta de ver as pessoas se encontrando e se divertindo em festas e eventos que você ajudou a planejar e ser o anfitrião?
  • Sua casa é do tipo em que a maioria das pessoas sente-se confortável e aparece para visitar sem avisar?
  • Você sente que algo realmente está faltando em sua vida quando você não pode ter convidados em sua casa?
  • Quando você pensa em sua casa você pensa nela pela perspectiva de receber visitantes?
  • Você considera sua casa como um local de ministério?
Fonte: Bom Caminho